Em cerimônia emocionada foi comemorado o centenário de José Amado Nascimento
Compartilhar:

A última sexta-feira, 26, foi marcada pela homenagem do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/SE), a José Amado do Nascimento, onde houve lançamento do documentário `Amado José`, lançamento do livro "Obras reunidas de José Amado Nascimento" o qual teve a participação da ex conselheira do Conselho Regional de Contabilidade de Sergipe (CRCSE), Mariana Dória e de um selo comemorativo dos Correios.


José Amado foi um dos expoentes da contabilidade e durante a manhã de homenagens foram recitados poemas "Poema do menino sem pai", "Qual a cor dos meus olhos?" de autoria do própro José Amado, exposição com fotografias e apresentação musical de Odir Caius.


"Viemos celebrar o centenário de um dos nomes mais importantes para contabilidade sergipana, nacional e um dos fundadores do TCESE, José Amado Nascimento, técnico contábil que sempre foi muito inquieto por isso despontou como um profissional a frente de seu tempo", explicou a presidente do CRCSE, Angela Dantas.

O presidente do TCE/SE, conselheiro Clóvis Barbosa, falou sobre a homenagem a José Amado Nascimento, que durante toda a trajetória atuante esteve nas áreas da contabilidade, jurídica, política e literária. "É uma oportunidade que estamos oferecendo à memória de Sergipe, resgatando este nome para que a juventude, a nova geração precisa ter consciência dos relevantes serviços que este homem prestou á sociedade sergipana".

 

Livro, documentário e selo comemorativo
O livro "Obras reunidas de José Amado Nascimento" foi organizado pelos jornalistas Marcos Cardoso e Gilfrancisco reúne em quase 200 páginas parte da obra literária do conselheiro aposentado. O documentário, intitulado, "Amado José", dirigido pelo jornalista Pascoal Maynard, numa parceria do TCE com a TV Aperipê e a TV Alese, conta a história do técnico em contabilidade através de entrevistas José Amado, seus familiares e pessoas que conviveram com ele, além da presença da presidente do CRCSE, Angela Dantas, que fala sobre a importância do homenageado para a classe, na ocasião, foi lançado também um pelos Correios, um selo comemorativo do centenário de José Amado Nascimento.

Marcaram presença na solenidade, o conselheiro e ouvidor, Carlos Pinna de Assis, o conselheiro substituto, Alexandre Lessa, o procurador geral do Ministério Público Especial, João Augusto dos Anjos, os procuradores Eduardo Côrtes e Luís Alberto Menezes, o presidente da Academia Sergipana de Letras (ASL), José Anderson Nascimento, o assessor executivo da Secretaria de Estado da Cultura, Lindolfo Amaral, representado o secretário Irineu Fontes e o diretor-presidente da Segrase, Márcio Farias Barreto, entre outros que estiveram presentes na Sexta Cultural.


Texto Homenagem lido pela presidente do CRCSE, Angela Dantas, durante a cerimônia
José Amado Nascimento iniciou sua vida na Contabilidade quando resolveu fazer o curso Técnico em Contabilidade em 1928, na Escola de Comércio Conselheiro Orlando. Em 1935 registrou-se no Conselho regional de Contabilidade de Sergipe obtendo o registro de n.º 168. Como Guarda-livros, juntamente com outros colegas, fundou a Associação Profissional dos Contabilistas no Estado de Sergipe, registrada na Delegacia Regional do Trabalho da Indústria e Comércio em 1942. A Associação era órgão de profissão liberal, com viés de cunho cultural, esportivo, artístico, onde passou a buscar que fosse criado o Curso de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Sergipe. Esta Associação sempre promovia, mensalmente, mesas redondas para debater assuntos de interesse da classe. Hoje esta Associação transformou-se no Sindicato dos Contabilistas de Sergipe.
José Amado Nascimento também foi o primeiro sergipano a ocupar uma cadeira na Academia Brasileira de Ciências Contábeis detentor da cadeira n.º 15 e o fundador da Academia Sergipana de Ciências Contábeis, em 08 de novembro de 1977. O então professor José Amado Nascimento sempre foi atuante na academia, proferindo e escrevendo temas relevantes para a classe, como ensaios de Filosofia, livros de poesias, ensaios de Direito, criticas literárias e vários artigos.
José Amado elevou o nome da contabilidade sergipana ao cenário nacional. Pertenceu ao primeiro grupo de estudiosos que no início dos anos 30 defendia a tese das tendências positivas da contabilidade a qual se solidificou com a Teoria científica Patrimonialista.
Considerado o maior cientista sergipano da Contabilidade, José Amado Nascimento contribuiu com mais de 40 textos científicos dentre estes, 36 artigos e 02 obras que foram editadas pelo Conselho Federal de Contabilidade. Teve uma trajetória profissional pautada por uma conduta ética e ilibada, merecedor do reconhecimento da nossa sociedade, o que mereceu o reconhecimento da classe contábil com a instituição pelo Conselho Regional de Contabilidade da maior honraria prestada a sociedade através da Comenda Mérito Contábil Prof. José Amado Nascimento.
José Amado do Nascimento destacou-se também pelo talento cultural, e espontâneo. E como o título de um de seus poemas ‘Eu também já sou histórico`, eu digo: o Senhor fez história e é sem sombra de dúvidas um dos nomes mais importantes para contabilidade brasileira e nós só temos a agradecer.
A classe contábil te festeja e agradece. Muito obrigada José Amado do Nascimento!



 

NOSSO INSTAGRAM