CRC/SE participa de discussão pela Reforma Política na OAB/SE
Compartilhar:
Há muitos anos uma reforma política ampla vem sendo articulada. No entanto, nenhuma mudança foi obtida. Diante da crise do sistema representativo vigente, a Ordem dos Advogados do Brasil luta por uma reforma política democrática de caráter popular. O movimento pela Reforma Política, formado por uma rede de entidades, prepara ações para a coleta de assinaturas para o Projeto de Iniciativa Popular e busca reforçar o debate entre os cidadãos sergipanos pela adesão à proposta.

Durante a tarde da última segunda-feira, dia 09, o Movimento pela Reforma Política ratificou a união entre a Ordem, o Conselho Nacional do Laicato do Brasil ? CONAL, a Escola Superior de Advocacia de Sergipe ? ESA, e o Conselho Regional de Contabilidade de Sergipe ? CRC/SE, em apoio ao projeto de lei de iniciativa popular da Reforma Política Democrática. O encontro aconteceu na sede da Ordem sergipana e contou com a presença do presidente da OAB, em Sergipe, Carlos Augusto Monteiro; do ex-presidente do Conselho Federal, Cézar Britto; e de representantes da Comissão de Combate à Corrupção Eleitoral da Ordem sergipana, do CONAL e do CRC/SE.

O presidente da Ordem, Carlos Augusto Monteiro, ressalta que a importância da reunião se traduziu em criar e botar em prática, com urgência, as ações pela Reforma. ?Esse foi um grande momento para a gente se unir, trocar informações e criar um modelo que a gente imagina ser o melhor para que o projeto consiga sair do papel e efetivamente aconteça?, comentou.

Na ocasião, o presidente sugeriu a realização de um encontro, em Brasília, entre representantes de todas as seccionais do país a fim de formatar um modelo único de trabalho na coleta de assinaturas para que a proposta de Reforma seja apresentada no Congresso Nacional. ?O papel da Ordem é ter a sensação de que a gente está fazendo a nossa parte. A gente vê, muitas vezes, determinados temas como distantes e utópicos, mas, se a gente fizer a nossa parte, isso de desmistifica e tudo se torna possível?, disse.

Cézar Britto luta pela causa popular e defende que a Reforma Política pode ser difícil, mas pode ser possível.  ?Lutar no mundo é muito difícil e exige a ousadia do começo. Pode parecer impossível falar de Reforma Política no Brasil e pode-se dizer que é muito difícil mudar o estado das coisas quando essas coisas beneficiam os que estão no poder por muito tempo, mas isso não nos desanima?, comenta. ?A maior dificuldade em discutir a Reforma Política é que grande parte de nossa parte da classe política pensa muito mais nas situações das próximas eleições que nas próximas gerações. Por isso estamos empenhados em lanças o debate?, apontou Cézar.

O presidente da Comissão de Defesa de Combate à Corrupção Eleitoral, Antônio Eduardo Oliveira, apresentou as entidades apoiadoras como forças extremamente importantes. ?Nós temos condições de procurar agregar mais grupos interessados nessa mobilização de coleta de assinaturas e de efetivar um movimento aqui no estado de Sergipe a fim de criar na sociedade sergipana a ideia da necessidade da reforma política?, disse.  ?Precisamos defender nosso país não só dos corruptos, mas também dos corruptores. O gérmen da corrupção começa na cultura financeira em que há necessidade de criar vínculo entre o político e o empresário para benefício próprio de ambos os lados. Nós não iremos desistir facilmente?, pontuou.

Durante a reunião, o presidente do CONAL, Ricardo Lima, relembrou as lutas travadas ao lado de Cézar Britto em prol da aprovação da primeira lei de iniciativa popular em 1999. ?Fico muito contente por ver tantos representantes do CONAL e tantos conselheiros da Ordem aqui hoje. A Reforma Política é possível e temos uma necessidade urgente dela?, afirmou.  O CRC/SE se propôs responsável pela coleta de assinaturas em suas comarcas, com objetivo de 500.000 assinaturas do país. ?Essa é uma convocação nacional. Nós já somos 500 mil profissionais. Se cada profissional assinar, já teremos meio milhão de assinaturas?, garantiu Ângela Andrade Dantas Mendonça, presidente do CRC/SE.  ?Acredito que a nossa classe tem muito a contribuir porque esperamos que todo cidadão que for fazer o imposto de renda, assinará pela Reforma Política?, completou.
A Reforma trata-se de um conjunto de propostas de emendas constitucionais que buscam o melhoramento do sistema eleitoral brasileiro e o apoio de entidades é essencial. Esse é um projeto que resgata a luta pela democracia, uma das bases da OAB.

Assine pela Reforma Política

Para contribuir por uma reforma política democrática de caráter popular, acesso a página: http://www.reformapoliticademocratica.org.br/assine/, imprima e entregue o formulário preenchido na sede da Ordem sergipana, localizada na Ivo do Prado, 1072, bairro São José. Participe.

ATENÇÃO: a legislação brasileira atual não permite assinaturas digitais ou pela internet. Portanto, para Projetos de Iniciativa Popular como este da Coalizão ainda é necessário imprimir o formulário e assinar corretamente com todos os dados.
Fonte: ASCOM OAB
NOSSO INSTAGRAM